sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Algarve 2017 - Parte VIII - Necas, O Alfaneque

07/10 Sagres 
O Meu Amigo Necas


Sábado de Festival, penúltimo dia de férias. A “luta” começou no Cabo de S. Vicente, à procura do Sula. Nada feito. Este Sula do Sul não queria nada connosco. Resolveu aparecer no domingo, precisamente quando decidi que não valia a pena ir ao Cabo outra vez. Os bichos são tramados…


Necas - O Alfaneque (Falco biarmicus) - foto Pedro Nicolau


Fomos para o sítio do costume. Estava muito mais gente do que era habitual. O elemento da Strix nesse dia era o meu amigo Pedro Nicolau. Mal me vê, dispara logo “Eh pá, Fred, tu és o ***** da Cabranosa!” - leia-se “o sortudo”. “Vens cá um dia, sacas a Pomarina, vens cá noutro sacas os Rüppel mais o Macrourus, bolas, Fred!”. A fama já me perseguia…
Lá começámos a trabalhar, ou “trabalhar”, como se queira. Olha para aqui, olha para ali. A Sandra fartou-se e disse que ia descansar para uma sombra qualquer.
Nisto, vejo passar por um intervalo da sebe um falcão. Nos três ou quatro segundos que lhe consegui colocar a vista em cima pareceu-me grande, tipo peregrino, mas tinha a cabeça estranhamente clara. Não percebi o que era. Ainda gritei para o Thijs Valkenburg, que também estava por lá, para olhar para a zona. Ele disse-me que só o viu um segundo ou menos, e que também não tinha conseguido perceber o que era. Como ia baixo, desapareceu atrás da sebe e deixámos de o ver. “Era um peregrino!”, pensei.



Alfaneque (Falco biarmicus)
Aqui o bicho já estava mais longe...


Entretanto, apareceu mais um dos muitos grupos que andava por estas bandas, no caso da Limosa, guiado pelo Robin Chittenden, que eu não conhecia. Veio falar connosco meio nervoso, a dizer que ele e o grupo tinham visto no início da sebe um falcão grande com as partes superiores acastanhadas. Perguntou se, por acaso, nós teríamos visto essa ave. “Um falcão esquisito?” – pensei – “Não vimos.” – respondi. Nem me lembrei do “peregrino” esquisito dessa manhã.
Mais uma volta ao bilhar grande, aparece um grupo que participava numa atividade do Festival, guiado pelo Bruno Herlander Martins. O Bruno é um observador que é sempre referido no meio como tendo sorte. "Toda a gente" sabe isso. A Cabranosa estava quase lotada. Sem aviso, sem pedir licença, como um relâmpago, aparece um falcão na área. Reparei que tinha a cabeça clara. Era o tal “peregrino” esquisito. Ouve-se a voz do Bruno “E porque é que isto não é um Alfaneque? E porque é que isto não é um Alfaneque? Alfaneque!”. Era mesmo! Era um Alfaneque. O bicho era rápido mas, com calma, ainda consegui fazer umas fotos de registo. Houve fotógrafos que conseguiram fazer boas fotos. Confirmadíssimo! A festa na Cabranosa estava ao rubro. O Pedro Nicolau ligou logo para o Pedro Ramalho – a Reuters do birding português - com a notícia. Ainda por cima confidenciou-me que interrompeu a chamada com um “peraí, agora não posso falar mais. Alfaneque! Alfaneque!”. A crueldade humana não tem limites. A adrenalina só desapareceu passado umas horas.

Alfaneque (Falco biarmicus) - foto Pedro Nicolau
 
Tudo a ver o Necas... - foto Vitor Correia


Durante a tarde, o macrourus voltou a aparecer. Também tu, Circus? Era mais um dia triunfal. Duas rapinas-raridade dois dias seguidos? Pelos vistos é possível. 


Tartaranhão-pálido (Circus macrourus) - foto Pedro Nicolau

Até tive direito a um café expresso, que a Sandra me trouxe a seguir ao almoço. Deu para tudo!
Para terminar o dia em cheio, já só faltava o “post mete-nojo”. Foi aí que nasceu o meu amigo Necas, o Alfaneque. Os posts já tinham nota artística.

Café na mão esquerda, binóculos na direita (Pedro Nicolau ao fundo) 
foto Carl Chaitanya Hawker

"Finalmente um dia razoável, apesar de ser à custa de muito trabalho.
O macrourus lá se dignou a ser fotografado. E, claro, não podemos esquecer o amigo Necas, o Alfaneque que resolveu aparecer na festa.
Até deu para descontrair um bocado e beber um café expresso muito saboroso. Finalmente a Cabranosa começa a ter condições mínimas.
Amanhã continuamos na luta."


Desta vez houve gente que explodiu. Mais uma vez, o comentário de que mais gostei foi o do Matthias:

£®∆π-5&!!!!!! Mais um post como este e faço a desativação temporária da minha conta no Facebook até terminar a tua comissão de trabalho em Sagres!!!!!!


Deixo aqui um agradecimento ao Pedro Nicolau, ao Vitor Correia e ao Carl Hawker pelas fotos.