terça-feira, 31 de outubro de 2017

Algarve 2017 - Parte II - Eleonora com Trabalho

25/09 Sagres
Falcão-de-Eleonora



O dia começou cedo, com uma visita às sombrias. É uma ave espetacular, que não vejo muitas vezes. Tento sempre aproveitar as idas a Sagres para matar saudades.


Sombria
 
De seguida avancei para o porto. Era dia de pelágica. As mais de cem pardelas-de-barrete que apareceram deram show. Vocalizaram, mergulharam, nadaram e, curiosamente, até voaram.


Pardela-de-barrete

Pardelas-de-barrete

Caos!

Depois, foi mais um dia na Cabranosa. Lá estávamos nós, no posto de observação a meio da manhã quando, de repente, o João Tiago Tavares, que estava a guiar um grupo de Dinamarqueses a uns cinquenta metros do nosso posto, assobia na nossa direção. Quando viramos a cabeça ele aponta na direção de um falcão, mesmo por cima de nós. Vi um falcão relativamente grande, tipo peregrino mas mais escuro. A ave ainda se demorou por alguns segundos. Como não vejo Eleonora todos os meses, nem todos os anos, confesso que não me apercebi bem do que estava a ver. Os falcões são sempre muito rápidos. Alguém da Strix ou da Ecosativa terá gritado “Eleonora”. Com a minha desconfiança habitual, dirigi-me ao grupo do João Tiago. “Confirmado!” – disse. “Temos fotos e tudo!”. 

Falcão-de-Eleonora (foto João Tiago Tavares)
Bum! A minha terceira observação de sempre, e pertíssimo. Como exigente que sou, fiquei aborrecido por não o ter reconhecido imediatamente. Enfim, nada é perfeito.


Falcão-de-Eleonora (foto João Tiago Tavares)


26/09 Sagres
Mais um dia de trabalho


Foi um dia “normal” na Cabranosa. Passaram duas cegonhas pretas, dois abutres-do-Egito, quatro pernis, uma Bonelli, um cyaneus, um açor, entre outras coisas. Tudo “normal”.



Bútio-vespeiro Frankenstein

No Facebook limitei-me a colocar “Mais um dia de trabalho…”, com umas fotos razoáveis da bonelli – um juvenil – e de um pernis, entre outros.


Águia-de-Bonelli juvenil

Foi com base neste post que, dias mais à frente, me começaram a questionar se o “Trabalho” estava a correr bem. O Georg, por exemplo, com os seus “rrr” carregados. “O Trrrrabalho está a correr beem?


Deixo aqui um agradecimento ao João Tiago pelas fotos e pelo assobio. Abraço!