sexta-feira, 3 de novembro de 2017

Algarve 2017 - Parte III - Derrota em Basileia

27/09 Sagres
O Benfica perdeu 5-0 em Basileia. Alerta! Vem aí raridade!



Depois de uma sessão matinal na Ponta da Atalaia, fui para a inevitável Cabranosa.


Cartaxo-nortenho - sebe



Ao fim de menos de uma hora, aparece um casal britânico com a notícia de que tinha acabado de ver borrelhos-ruivos no Vale Santo.
Como falhei a ave na Escócia e só a consegui ver a muito custo por cá, tornou-se numa ave fetiche. Rapidamente eu, o Lars – que resolveu aparecer por lá nesse dia - e o Dean, um companheiro Inglês da Cabranosa, arrancámos no meu carro e fomos fazer um mini-twitch aos borrelhos. Ao fim de uns minutos lá os conseguimos localizar. Não as três aves que tinham sido referidas, mas “apenas” duas. Terceira observação de sempre. "I'd buy that for a dollar!"


 
Borrelho-ruivo


Com a distorção do ar e a distância consegui apenas um registo fraco em vídeo e umas fotos reles. É como estou sempre a dizer, "há sempre um crítico". Como última nota, do que me foi dado a conhecer, ninguém mais nesse dia viu os morinellus.
De regresso à Cabranosa, o dia decorreu com “normalidade”. Três cegonhas-pretas, um abutre-do-Egipto, oito pernis, um grifo, três Bonelli, um pigargus melânico, dois açores, um milhafre-real, um abelharuco. Tudo “normal”.



Açor

De regresso a casa, limitei-me a seguir o mau resultado do Benfica. Tinha um mau pressentimento desde manhã e não assisti ao jogo.
Mas o “post mete-nojo” não podia falhar. Limitei-me a escrever um “Hoje quase não se passou nada.”, com fotos de um borrelho-ruivo e de um açor.
Alguns amigos, que já estavam “picados” com os meus escritos anteriores, explodiram e confrontaram-me com o resultado do glorioso. O mais incisivo foi o Matthias Tissot, que tem raízes ou, pelo menos, algum passado Helvético. Respondi que estava de férias, ao que ele ripostou que estava a ficar farto dos meus posts provocatórios para quem estava a trabalhar. Disse-lhe que como no Algarve não tenho NatGeo Wild, tenho de me entreter de alguma forma. O Pedro Ramalho também me confrontou com o resultado, ao que eu respondi:
“Já disse ao Matthias que estou de férias … Amanhã lá estarei outra vez na Cabranosa, desta vez com a equipa maravilha Carlos Pacheco e Alexandre.”
Seria a premonição que costumo ter de que, sempre que o Benfica Perde, vamos ter espetáculo na passarada nas próximas horas? A verdade é que a minha frase acertou na mouche, como veremos.